Economia Brasileira

[ sábado, março 23, 2002 ]

 
Atenção para a data da prova...
Dia 10/04/2002
Portifólio Assunto:
A Evolução do Marketing e a Economia Brasileira.

Marcelo [13:03]

[ sexta-feira, março 15, 2002 ]

 
SPB: Empresas terão tempo suficiente para se enquadrarem ao sistema
(14:01) BRASÍLIA, 14 de março de 2002 - O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Luiz Fernando Figueiredo, disse há pouco que as empresas terão tempo suficiente para conseguir se enquadrar as regras estabelecidas pelo novo Sistema de Pagamentos Br asileiro (SPB), que entra em funcionamento no dia 22 de abril. "Temos um prazo bastante dilatado para que todos entrem. Temos a convicção de que o preço é suficiente", afirmou acrescentando que se houver necessidade esse prazo pode ser prorrogado.
Fig ueiredo admitiu a possibilidade de descasamento (desiquilibrio) no fluxo de caixa de algumas empresas, porém, este estará concentrado entre as grandes empresas. "As empresas têm seis meses para evitar o descasamento, que está concentrado entre as empresa s grandes. Esse ponto, que parecia um problema, não é devido ao prazo", afirmou Figueiredo.
Em pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com 1.024 empresas, e interpretada pelo BC, foi constatado que do total de 9 04 questionários, apenas 12,7% das empresas reportaram maior porcentual de pagamentos do que de recebimentos acima de R$ 5 mil, podendo sofrer potencialmente o impacto do novo SPB se não se adaptarem a estrutura de fluxo de caixa. No caso das micro empre sas, apenas 1,4% apontaram descasamento. No segmento de pequenas empresas (60% do total11,1% apresentaram descasamento.

Segundo dados do BC, desagregando a estimativa de necessidade de capital de giro total (R$ 1,3 bilhão, que representaraia um cus to financeiro potencial de R$ 39 milhões/mês) por segmento, verifica-se que 76,6% correspondem às grandes empresas, ou seja R$ 991 milhões. Adicionalmente, R$ 242 milhões são requeridos para as médias empresas e apenas 4,8% do total (R$ 62 milhões) são
relativos a micro e pequenas empresas.

(Edna Simão - Gazeta Mercantil)


Marcelo [08:58]

[ terça-feira, março 05, 2002 ]

 
Conteúdo Programático
Unidades Subunidades C.H.
1. - O Brasil no mundo globalizado 1.1 Apresentação
1.2 As máscaras do Imperialismo

2. - Política Econômica 2.1 - O que é política econômica
2.2 – Política fiscal
2.3 – Funções do Governo
2.4 – Sistema Tributário nacional
2.5 – Política Monetária
2.6 – O multiplicador bancário e as funções do Banco Central


3. - Economia Brasileira 3.1 – A crise de 30 e o avanço da industrialização brasileira
3.2 – O Estado novo e a Segunda Guerra Mundial
3.3 – Os anos 50: Getúlio Vargas e o desafio da Indústria Pesada
3.4 – Planos de Metas de JK
2.5 – A crise 1962-67 o PAEG e as bases do milagre econômico

4. - Pós 1968 4.1 – O milagre Brasileiro
4.2 – O II PND

5. – Os anos 80 5.1 – Choques externos e desestruturação
5.2 – A crise da dívida externa e a crise fiscal do Estado

6. – Teoria da Inflação Inercial 6.1 – Plano Cruzado, Bresser e Verão 4
7. – Anos 90 7.1 – Plano Collor
7.2 – Plano Real: As três fases
7.3 – O Brasil Atual

Metodologia: O conteúdo será ministrado através de aulas expositivas participativas, com auxílio de recursos audiovisuais, trabalhos individuais e em grupos, seminários, simpósios, debates, estudos de casos, resolução de exercícios, pesquisas e atividades extraclasses buscando não só a adequação da técnica à diversidade dos temas como também a qualidade do ensino-aprendizagem.
Avaliação: Dar-se-á durante todo o processo e de acordo com as normas de verificação e aprendizagem do desempenho escolar determinadas pelo Regimento Unificado do UNICENTRO Newton Paiva.

Bibliografia
BAER, WERNER. A Economia Brasileira. Editora Nobel.
LACERDA A C. Economia Brasileira. Editora Saraiva
LESSA, Carlos. 15 anos de Política Econômica. São Paulo: Brasiliense.
MELLO, João M. C. O Capitalismo Tardio. São Paulo: Brasiliense.
OLIVEIRA, Fabricio Augusto de. A reforma Tributária de 1966 e a acumulação de capital no Brasil. Ed. Brasil Debates.

Marcelo [00:03]

[ sexta-feira, março 01, 2002 ]

 
BC: Expansão da base monetária é de 12,6% em 12 meses até janeiro
(10:56) BRASÍLIA, 28 de fevereiro de 2002 - A base monetária mostrou expansão de 12,6% em 12 meses encerrados em janeiro, quando atingiu R$ 52,298 bilhões, pelo critério de média de saldos diários. Diante de dezembro, houve uma ligeira queda de 1% sob mesmo conceito. A base monetária é a soma do papel-moeda emitido pelo Banco Central (BC) mais as reservas bancárias.
Pelo critério de média final do período, a base monetária subiu 17,4% em 12 meses até janeiro, somando R$ 49,723 bilhões. O valor representa uma queda de 6,6% em relação a dezembro.

O saldo global das operações de crédito concedido pelo sistema financeiro em janeiro chegou a R$ 333,499 bilhões. Isso significa alta de 0,3% na comparação com o mês de dezembro. A relação desse agregado com o Produto Interno Bruto (PIB) do País manteve-se em 26,8%.

(Edna Simão - Gazeta Mercantil)


Marcelo [09:37]

[ quinta-feira, fevereiro 28, 2002 ]

 
FGV: IGP-M recua para 0,06% em fevereiro
RIO, 27 de fevereiro de 2002 - O Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) de fevereiro recuou para 0,06% segundo divulgou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O índice apresentou alta de 0,36% na medição e janeiro.
O Índice de Preços por Atacad o (IPA) registrou queda de 0,09%, ante alta de 0,14% observada em janeiro. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) também recuou para 0,29% em fevereiro em relação ao 0,82% verificados no mês passado.
Já o Índice Nacional da Construção Civil (INCC) regi strou alta de 0,31%. No mês passado o índice teve variação de positiva de 0,4%.
No ano, a inflação acumula alta de 0,42%. Em doze meses, o IGP-M detêm alta de 9,92%.
(Alessandra Saraiva - Gazeta Mercantil)
Marcelo [10:22]

 
Os grandes assuntos relacionados ao Brasil estão aqui.
Marcelo [00:59]